Tumblelog by Soup.io
Newer posts are loading.
You are at the newest post.
Click here to check if anything new just came in.
elida14y8383792

Como Conquistar A Coordenação E A Independência Das Mãos (o Terror Dos Iniciantes Ao Piano)

O Minucioso Serviço Arqueológico Que Desenvolveu O Quebra-cabeça Da 'música Mais Antiga Do Universo' Sózinho Com o objetivo de Tocar Só Uma Musica (não Erudita), Rola?


Entre as amargas enredos de Medeia, Antígona e Electra, o espetáculo “Trágica.3” reúne todo o drama do teatro grego através da representação do universo feminino. Na montagem, dirigida por Guilherme Leme, a representação das heroínas mostra uma renovação audaciosa na dramaturgia da Grécia Antiga, onde as mulheres assumiam um papel secundário. “Essa é a minha forma de trazer um observar contemporâneo para o texto. É assim como uma maneira de falar a prática teatral a partir de uma nova montagem pra um espetáculo clássico”, Jorge Ben Jor Completa 70 Anos: Relembre Carreira E Sucessos Do Cantor o diretor.


No palco do Centro Cultural do Banco do Brasil de São Paulo, a começar por amanhã, a peça conta com Letícia Sabatella no papel de Antígona, Denise Do Vecchio interpretando Medeia e Miwa Yanagizawa como Electra. O elenco ainda traz Fernando Alves Pinto e Marcello H. Com apresentação aos sábados, domingos e segundas, a temporada ficará em cartaz até 7 de julho, quando segue trajeto itinerante entre Atraente Horizonte, Brasília e Rio de Janeiro.



Com quase trinta anos de carreira, o ator paulista Guilherme Leme revelou nos últimos anos o talento como diretor. Sua primeira experiência do outro lado do palco ocorreu em 2005, com o espetáculo “Os sem vergonhas”. 4 anos depois, conduziu Betty Faria no elogiado monólogo “Shirley Valentine”.


Neste instante em “RockAntygona”, de Como Tocar Guitarra Pela Web Do Zero , Guilherme fornece uma ousada versão para o clássico “Antígona”, em que dá voz ao ditador Creonte, entendido por Luis Melo. “Em ‘RockAntygona’ trouxe a peça para os dias de hoje e curti muito da experiência.


Quando acabou, pensei que desejaria de fazer outra releitura de clássicos gregos”, conta. Ele, que encenou nos anos 1990, ao lado Vera Holtz, a peça “Medeia Material”, com direção de Marcio Meirelles, a toda a hora teve interesse em revelar a tragédia na ótica da protagonista.


“Na versão de ‘Medeia Material’ a gente encenava as 3 partes do texto. Dessa vez, queria oferecer ênfase ao monólogo da Medeia, todavia não cabia um espetáculo só pra ele, já que tem só 25 minutos”, explica. Foi, assim, que teve a ideia de desenvolver uma nova adaptação de “Antígona” e reunir ao texto de “Electra”, para compor um espetáculo regressado às heroínas gregas. Em “Trágica.3”, 3 adaptações de histórias clássicas se unem em um só lamento.



O novo texto de “Antígona” foi escrito por Caio de Andrade, mesmo roteirista de “RockAntygona”. Entremeado de cânticos em pranto, dessa vez, a performance diminui Creontes e foca pela personagem. No papel de Antígona, Letícia Sabatella se desdobra entre cantos e instrumentos musicais. ”Trágica.3” está em cartaz aos sábados, domingos e segundas, de 26 /04 a 07/07. O CCBB fica na via Álvares Penteado, 112, no Centro, em São Paulo. A começar por amanhã, “Luiz Zerbini - Pinturas” estará exposta pela Residência Daros, no Rio.


Dando sequência à temporada dedicada à pintura na faculdade, aberta por “Fabian Marcaccio - Paintant Stories”, a exibição tem curadoria de Hans-Michael Herzog e reúne por volta de 30 obras — quase todas inéditas. Na sala “Painting lab”, o artista revela fatos do teu modo criativo.


Tags: fonte original
(PRO)
No Soup for you

Don't be the product, buy the product!

close
YES, I want to SOUP ●UP for ...